Music World
Welcome, Guest. Please login or register.
   
  Forgot your password?
 
Find Artists:
 
 
 
Russian versionSwitch to Russian 
Rita Lee




Music World  →  Lyrics  →  R  →  Rita Lee  →  Albums  →  Fruto Proibido

Rita Lee Album


Fruto Proibido (1975)
1975
1.
2.
3.
4.
5.
6.
O Toque
7.
8.
9.
. . .


Dance, dance, dance
Gaste um tempo comigo
Não, não tenha juízo
Dê-se ao luxo de estar sendo fútil agora

Dance, dance, dance
Faça com Isadora
Que ficou na história
Por dançar como bem quisesse

Um movimento qualquer
Sobe à cabeça e os pés
Sinta o corpo
Você está solto
E pronto pra vir ...

Dance, dance, dance
Passe as horas comigo
Nesse duplo sentido
No barato de ser um ser vivo, ainda

Dance, dance, dance
Num programa de índio
Vá rodar um cachimbo
Que é pra paz não dançar na tribo

Um movimento qualquer
Sobe à cabeça e os pés
Sinta o corpo
Você está solto
E pronto pra vir me amar

. . .


Um belo dia resolvi mudar
E fazer tudo o que eu queria fazer
Me libertei daquela vida vulgar
Que eu levava estando junto a você
E em tudo que eu faço
Existe um porquê
Eu sei que eu nasci
Sei que eu nasci pra saber

E fui andando sem pensar em voltar
E sem ligar pro que me aconteceu
Um belo dia vou lhe telefonar
Pra lhe dizer que aquele sonho cresceu
No ar que eu respiro, uu
Eu sinto prazer
De ser quem eu sou
De estar onde estou

Agora só falta você, iê, iê
Agora só falta você, aaa . . .
Agora só falta você, iê, iê
Agora só falta você, au!

E fui andando sem pensar em voltar
E sem ligar pro que me aconteceu
Um belo dia vou lhe telefonar
Pra lhe dizer que aquele sonho cresceu
No ar que eu respiro, uu
Eu sinto prazer
De ser quem eu sou
De estar onde estou

Agora só falta você, iê, iê
Agora só falta você, aaa . . .
Agora só falta você, iê, iê
Agora só falta você, au!

. . .


Pra quê sofrer com despedida?
Se quem partir não leva nem o sol, nem as trevas
E quem fica não não se esquece tudo o que sonhou?
Eu sei, tudo é tão simples que cabe num cartão postal
E se a história de amor não acabou tão mal

O adeus traz a esperança escondida
Pra quê sofrer com despedida
Se só vai quem chegou
E quem foi vai partir?
Você assim, se lamenta
Depois vai dormim

Sabe
Alguém quando parte
É porque outro alguém vai chegar
Num raio de lua, na esquina, no vento ou no mar
O adeus traz a esperança escondida
Pra quê?

Sabe
Alguém quando parte
É porque outro alguém vai chegar
Num raio de lua, na esquina, no vento ou no mar
Pra quê querer ensinar a vida?
Pra quê sofrer?

. . .


Não é nada disso, alguém fez confusão!
Vou dar um tempo, preciso distração
Às vezes cansa minha beleza
Essa falta de emoção e de sensação

Quem foi que disse que eu devo me cuidar?
Tem certas coisas que a gente não consegue controlar
Comer um fruto que é proibido,
Você não acha irresistível?
Nesse fruto está escondido o paraíso, o paraíso

Eu sei que o fruto é proibido,
Mas eu caio em tentação
Acho que não!

Comer um fruto que é proibido,
Você não acha irresistível?
Nesse fruto está escondido o paraíso, o paraíso

Eu sei que o fruto é proibido,
Mas eu caio em tentação
Acho que não!

. . .


Au!

Ela nem vem mais prá casa
Doutor!
Ela odeia meus vestidos
Minha filha é um caso sério
Doutor!
Ela agora está vivendo
Com esse tal de Roque Enrow!
Roque Enrow!
Roque En . . .

Ela não fala comigo
Doutor!
Quando ele está por perto
É um menino tão sabido
Doutor!
Ele quer modificar o mundo
Esse tal de Roque Enrow!
Roque Enrow!

Ro . . .
Quem é ele?
Quem é ele?
Esse tal de Roque Enrow!
Uma mosca, um mistério
Uma moda que passou
Já Passou!
Ele! Quem é ele?
Isso ninguém nunca falou!
Ôh! Ôh!

Ela não quer ser tratada
Doutor!
E não pensa no futuro
A minha filha tá solteira
Doutor
Ela agora está lá na sala
Com esse tal de Roque Enrow!
Roque En . . .

Eu procuro estar por dentro
Doutor!
Dessa nova geração
Mas minha filha
Não me leva à sério
Doutor!
Ela fica cheia de mistério
Com esse tal de Roque Enrow!
Roque Enrow!

Ro . . .
Quem é ele?
Quem é ele?
Esse tal de Roque Enrow!
Um planeta, um deserto
Uma bomba que estourou
Ele! Quem é ele?
Isso ninguém nunca falou!
Ôh! Ran . . .

Ela dança o dia inteiro
Doutor!
E só estuda prá passar
E já fuma com essa idade
Doutor!
Desconfio que não há
Mais cura prá esse tal de Roque Enrow!

Quem?
Roque Enrow!
Roque Enrow!
Roque Enrow . . .

. . .

O Toque

[No lyrics]

. . .


Quem falou que não pode ser?
Não, não, não
Eu não sei por quê
Eu posso tudo, tudo
Me disseram pra não dizer
Não, não, não
Eu não sei o quê
É absurdo
Eu não sou mudo
Quem falou que não pediu pra nascer
Não, não, não
Eu sinto muito
Vai ficar pra outra vez
Não é possível ser pirata em paz
Que o transatlântico vem logo atrás
Eu sei que ele está perseguindo
O meu tesouro escondido
Mar não, não
Enquanto isso eu continuo no mar
A ver navios pra poder navegar
A nau dos desesperados
Navio fantasma e seus piratas pirados
Não, oh!
Meu bem
Vai ficar pra outra vez!

. . .


Eu hoje represento a loucura
Mais o que você quiser
Tudo que você vê sair da boca
De uma grande mulher
Porém louca!

Eu hoje represento o segredo
Enrolado no papel
Como luz del fuego
Não tinha medo
Ela também foi pro céu, cedo!

Eu hoje represento uma fruta
Pode ser até maçã
Não, não é pecado,
Só um convite
Venha me ver amanhã
Mesmo!

Amanhã! Amanhã! Amanhã!

Eu hoje represento o folclore
Enrustido no metrô
Da grande cidade que está com pressa
De saber onde eu vou
Sem essa!

Eu hoje represento a cigarra
Que ainda vai cantar
Nesse formigueiro quem tem ouvidos
Vai poder escutar
Meu grito!

Eu hoje represento a pergunta
Na barriga da mamãe
E quem morre hoje, nasce um dia
Pra viver amanhã
E sempre!

. . .


Levava uma vida sossegada
Gostava de sombra e água fresca
Meu Deus quanto tempo eu passei
Sem saber
Foi quando meu pai me disse filha
Você é a ovelha negra da família
Agora é hora de você assumir
E sumir

Baby, baby
Não adianta chamar, oh não
Quando alguém está perdido
Procurando se encontrar
Baby, baby
Não vale a pena esperar, oh não
Tire isso da cabeça
Ponha o resto no lugar

Levava uma vida sossegada
Gostava de sombra e água fresca
Meu Deus quanto tempo eu passei
Sem saber
Foi quando meu pai me disse filha
Você é a ovelha negra da família
Agora é hora de você assumir
E sumir

Baby, baby
Não adianta chamar, oh não
Quando alguém está perdido
Procurando se encontrar
Baby, baby
Não vale a pena esperar, oh não
Tire isso da cabeça
Ponha o resto no lugar

. . .


blog comments powered by Disqus



© 2011 Music World. All rights reserved.